Pages

Seguidores do Rey

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Deixo


Deixo em 2010 todos os meus sonhos não realizados, por fracasso ou por falta de tentar. Deixo também as pessoas que me machucaram com atitudes e até por faltar com a verdade. Todos meus hábitos que me fizeram mal, me tornaram uma pessoa ruim eu abro mão. Deixo desculpas para aquelas que eu feri com a falta de caráter ou até mesmo por não poder suprir e ser quem fantasiaram que eu seria. Que fique o meu adeus para os que não completaram a jornada ao meu lado, que por covardia me abandonaram ou por outros motivos tiveram de voltar. Deixo um grande abraço e ternura para aqueles que simplesmente se foram. Levo comigo todos os sonhos do mundo, toda experiência hoje adquirida, todos os amigos que não me abandonaram com o decorrer dos dias, estiveram ao meu lado me encorajando. Levarei comigo esperanças de que o amanhã tudo será melhor, e que por mais que hoje eu quebre a cara sempre terei a bravura de me refazer e recomeçar. Se tudo der errado, paciência, respirando se pode viver. Sei que não se pode apagar o passado, tampouco voltar e mudar o que lá está, mas sei que posso mudar o hoje para que o amanhã o hoje não me envergonhe. Que eu consiga deixar para trás minha "imaturidade", sei que é impossível, pois por mais que eu cresça sempre serei um eterno imaturo aos olhos dos outros. Que eu goste de mim, acima de tudo. Que eu aprenda que amores vem e vão, que alguns amores são passageiros. Que eu saiba sempre que por mais que um amor de verão seja um amor relâmpago ele pode durar eternamente em nossa mente. Que lembranças boas são feitas para serem recordadas e as ruins para serem esquecidas. Que remoer o passado não me tornará melhor e que chorar pelo que passou não o trará de volta. Espero que eu consiga distinguir a verdade da mentira, o mal do bem, e o fácil do difícil, mas acima de tudo; nunca me esquecer de quem eu realmente fui, e sou.


"Sou errada, sou errante sempre na estrada, sempre distante. Vou errando enquando o tempo me deixar passar." ♫

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

"O tal do amor"



Quem é que nunca viu um filme, seriado ou até mesmo novela e não se viu na pele daquela fulaninha que é desprezada pelo fulaninho, da beltrana que ama mais do que é amada pelo ciclano, da ciclana que está com o fulano, mas na verdade queria estar com beltrano... e por aí vai. Quando ligamos a TV e começamos assistir algo, automáticamente vamos nos vendo em um certo personagem, pelo menos é o que acontece comigo. Acontece com você também? Se não, que tal chamar seu melhor amigo - ou amiga - pegar um filme, ou até mesmo um seriado e assistir, é bom, dá um extâse enorme, não tem preço.


Falar de amor é um tanto complicado, é um sentimento que é difícil de entender e dar uma classificação certa e adequada, existem vários tipos de amor, e várias formas de amar, embora seja essa a parte mais complicada. Podemos amar uma certa pessoa de uma forma, e ela nos amar completamente de outra, é aí que eu penso: Amor se mede? Não, amor não se mede. Pessoas são diferentes, umas demonstram mais para o companheiro ou para o MUNDO o amor sentido, e outras ocultam tal sentimento. Ocultar isso seria a melhor forma de não sofrer no PÓS relacionamento; é como Cazuza diz e eu assino embaixo:


"O nosso amor a gente inventa, pra se distrair, e quando acaba a gente pensa, que ele nunca existiu"

Você tem medo de amar? Eu tenho. Por que eu tenho? Ahhh, porque o amor tem o poder de nos deixar submissos, tolos, sem vontade de viver por nós, apenas nos importamos com a pessoa, em estar com a tal, em viver em função tal. Ontem estava fazendo um "Back Up" de toda minha vida amorosa e vi o quão tolo já fui em alguns relacionamentos passados, dei tudo de mim e nunca me importei com o que eu recebia, QUANDO recebia. E isso é ruim, viver em função tal nos deixa meio que bobados, e quando acaba esse conto de 'Cinderela' na vida real em qual vivemos temos que nos imaginar sem a pessoa. E como o fazemos, sendo que só nos imaginamos com ela, fizemos todos os planos, e montamos todas as expectativas do futuro com a tal pessoa? Quando acaba, simplesmente acaba TUDO, acaba você, acaba o mundo, acaba o futuro. E vem a tristeza, toma conta do seu quarto, da sua casa, e te envolve com a dor e as lembranças, e você vê que viveu meio que uma ilusão, e daí dói. Dói quando você acessa a página do tal fulano que te deixou assim e vê que ele tá BEM, ele tá muito BEM, mas sem você. Daí tempos depois você começa a se recuperar, e conhece uma outra pessoa, e começa tudo denovo, e é aí que temos que pensar "Tá na hora de mudar" e vem lá vem o amor nos dilacerar novamente. Consegue entender onde eu quero chegar? 

E pra você que ama, ame com intensidade, ame de verdade. O amor é o sentimento mais lindo do mundo entre todos os seres. O amor pode unir duas pessoas diferentes, de raças diferentes, e até mesmo tão iguais. Mas nunca viva totalmente em função da pessoa, viva por você, e pra VOCÊ, porque quando chega o "amanhã" ele acaba, e quando acaba, será só você, e é aí que a gente começa a viver por nós, porque enfim percebemos que o "nós" de ontem, nunca existiu.

Que tal conhecer alguns casais de ficções?

Oliver e Christian - Verbonete Liebe 

Christian era um lutador e noivo de uma garota da cidade local, e Oliver era um ex marinheiro, trabalhou anos na marinha e voltou para cidade para refazer sua vida, ele se torna o melhor amigo de Lolly a noiva de Chris, e acaba despertando uma paixão enorme na loira. Chris tinha um jeito durão, e sempre afetava todos a sua volta de alguma forma, seja com sua estupidez, ignorância e até mesmo com alguns olhares, a história entre Olli e Chris começa quando Oliver se hospeda em sua casa por um tempo, o lance entre eles começa a ficar mais intenso, como uma amizade e tall.. Oliver se apaixona pelo amigo durão, e o beijo entre eles só rola no 28º episódio no meio do RINGUE onde Chris lutara. Juntos eles enfrentam todo o preconceito, e revolta da família de ambas as partes, inclusive as armações de Olívia, a prima malvada e apaixonada de Oliver.


 Marissa e Ryan - The O.C:

Foi o romance mais complicado e lindo de toda a história, Ryan era o típico garoto complicado e Marissa era a garota riquinha, e toda estereotipada pela sua mãe, era uma garota confusão, mas com um coração enorme, e meio bobada, nunca colocava maldade em nada, e sempre se deixava levar por poucas palavras. Os desencontros de ambos foram os mais lindos da TV. Quando chegava o momento que a gente pensava "Pronto, eles vão ficar juntos agora" vinha sempre alguma coisa e bagunçava tudo. Com tantos desencontros, idas e vindas, o amor entre os dois sempre existiu, e era tão real que chegava a sair da ficção. Me vi na Marissa em várias cenas no decorrer do seriado.



Austin e Julie Mayer - Desperate Housewives

Austin, um garoto rebelde que vai passar uma temporada com a sua tia em Wisteria Lane acaba conhecendo Julie numa confusão um tanto cômica, ela tentava estudar quando foi surpreendida por um som alto e um garoto descamisado, a loirinha tanto avulsa vai atravessa a rua, desliga o som do cara e se fica chocada com o corpo de Austin, ele sempre a metia em confusões, uma das mias cômicas foi a do blackout, devido ao excesso de energia que ela usou em uma de suas maquetes escolares que tirou a luz da rua toda, Austin a ajudou a refazer todo o trabalho. O canadense iludiu Julie até ela decidir ceder a virgindade a ele em uma noite linda e estrelada, logo em seguida começou a ter um caso com Danielle, sua melhor amiga, a cena de desfecho do casal foi no ep. 17 da terceira temporada, quando Austin é ameaçado pela mãe de Danielle, e foi obrigado a ir embora da cidade, Austin se despede de Julie, e se vira, logo em seguida Julie corre até ele e o surpreende com um beijo.


 Lucas e Hanna - Pretty Little Liars


Uma amizade colorida, entre a garota popular do colégio e um nerd. Hanna nunca olhou pra Lucas com outros olhos, apenas o trata como trata a maioria dos estudantes do colégio. Lucas se apaixonou pela forma atenciosa que Hanna usa para lidar com ele. A história deles é complexa; Hanna namora um cara que só quer transar com ela após o casamento, ele guarda um segredo, e sempre a evita quando o assunto é sexo - eu acho que ele é gay - Hanna sempre humilhou Lucas com influência de Alison, sua melhor amiga. Após a morte de Alison que foi brutamente assassinada, Hanna começa a conhecer Lucas à fundo.. Ninguém sabe que eles vão terminar juntos no final né?


Brian e Justin - Queer as Folk - Os assumidos.

Justin, o loirinho de 17 anos, iludido com a vida, e sonhador, típico de um gay adolescente. Ele conhece Brian, um homem vivido, de 29 anos porém com cabeça mais jovem que o adolescente. Após ter sua primeira experiência com Brian, Justin faz exatamente o que citei no texto anterior - MEU "EU" CASUAL - corre atrás do "velho" e fica tempos iludido com o tal. Justin passa as cinco temporadas "inteiras" correndo atrás do amor de Brian, que só vem à tona no último ep. da quinta temporada quando Brian finalmente assume seu amor pelo loirinho.



 Regina George e Aaron Samuels - Mean Girls

Quem não poderia faltar por aqui. Sim, Regina George, a Bitch do colégio do filme Mean Girls que traía o namorado às escondidas no salão esportivo com um jogador de futebol americano. Após se sentir ameaçada pela personagem de Lindsay Lohan, ela começa a dar valor ao namorado, e até reata o namoro, começam a viver o casal perfeito, mas mesmo assim não pensa duas vezes quando o assunto é "pular a cerca"








Savannah e John - Dear John

Savannah era uma menina de uma cidade pequena que foi para o litoral passar o verão e ajudar nas construções de casas para famílias carentes. John era o garoto problemático, insatisfeito com a vida que levava e totalmente rebelde que decidira se alistar no exército na busca de que sua vida se tornasse interessante. Após conhecer Savannah e se apaixonar por ela em duas semanas, ele volta ao exército e os dois vivem uma história linda e encantadora à distancia e são obrigados a se comunicarem por cartas, e-mails, e telefones raramente, até que a distância enfim os separe. Vale a pena conferir "Querido John" mas eu particularmente aconselho a ler o livro, antes de ver o filme.



Nina e Dé - Era uma vez

Típica garota instatisfeita com as injustiça e vida que seu pai leva, rica, moradora do bairro Ipanema; Rio de janeiro. Se apaixona por Dé, que mora no morro do canta galo, favela da cidade, após ele salvar sua vida de três marginais que tentam assaltá-la após ela ser abandonada pelo ex namorado na noite. a história é uma versão atualizada de Romeu e Julieta, tudo que os dois passam é extremamente emocionante e lindo. Uma história linda de tirar o fôlego e surpreender a todos no final.
 
 

Zeca e Carol - Histórias de amor duram apenas noventa minutos

Embora o filme não cerque por completo uma história de amor, e sim a vida confusa do protagonista Zeca, a história dele com Carol é bem interessante, tanto o triângulo amoroso com a melhor amiga, quanto a indecisão pelas duas. Carol é argentina, veio para o Brasil recentemente e é aluna de Paula, noiva de Zeca. Paula era totalmente fria com ele, porém o amava de certa forma, Zeca começa a descobrir seu desejo e "amor" desconhecido por Carol, que o "seduz" em algumas cenas até conseguir deitar com ele. A história é interessante. Eu curti. 





A última música

Miley Cyrus realmente me surpreendeu nesse filme, sem comentários é um dos melhores filmes de 2010. Ela interpreta Ronie, uma filha rebelde que vai passar o verão com o pai para recomeçar a vida, e descobre o verdadeiro valor que a família tem, e que é sim capaz de se apaixonar.





Enfiim, espero que tenham gostado do post.
é antigo e decidi postar por falta de criatividade para criar um novo.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Feios - Cap. III




A beleza é a cabeça da Medusa, que homens armados tentam cortar.
Quanto mais morta, mais mortal a musa, que morta atormenta sem nunca parar.






Feios - Cap. III
- Imagem; capa do segundo livro "Perfeitos".

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Uma carta para Romeu.


Chove tanto lá fora, o céu está nublado, cinzento, é assustador, confesso... 
E eu me pergunto; Onde você se encontra agora? 
Estou deitado ainda, e são nove da manhã, nada é a mesma coisa desde que você se foi, 
Meu quarto está tão vazio, meu celular não vibra mais com aquela frequência toda, 
Minhas ligações não são mais suas, minhas conversações não são mais suas,
Acho que nada mais é seu, nem mesmo eu.
E eu comprei um livro, nunca tinha o feito antes, acho que foi na intenção de te tirar da minha cabeça. 
Se realmente for, eu acho que consegui. 
Meus dias agora estão cheios, e pensar em você não está sendo mais tão frequente, 
Nossos momentos foram bons, e agora estão no passado. 
Virei a página do meu livro, e acho que nosso plural agora virou o meu singular.
E todos os verbos já não são mais no presente ou até mesmo fazem parte do futuro.

Não sei com que frequência você pensa em mim, ou se existe realmente o momento no qual você pensa.
Mas quero que saiba, que eu estou bem, estou me curando aos poucos.
E a minha porta está fechando, cuidado para quando quiser voltar..
A chave pode não estar mais no mesmo lugar.
E sabe aqueles tons musicais que tinhamos? Acho que os perdi, eram como a essência.

Nos perdemos, completamente no que diziamos 'NOSSO'.
O meu, o seu, e o nosso agora não faz mais sentido,
Não sei como isso tudo começou,
Apenas sei que começou,
E não consigo parar.

Continuar me faz bem, 
Me completa, 
Me faz querer ir em frente.
Me faz querer viver, 
Me faz querer desgostar...

...de você.

O que me inspirou: 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A resposta.


"Já se sentiu como se estivesse num beco sem saída e que não há razão para continuar lutando por uma coisa que não está indo para frente?! Eu já ouvi dizer que em um relacionamento as pessoas precisam caminhar juntas, de mãos dadas... e agora, aqui conosco, certamente há alguém na frente, certo?! Esse alguém sou eu ou é você?!..."

- É como eu me sinto todos os dias, lutando para que algo faça sentido e que possa realmente valer a pena. E num relacionamento as pessoas precisam sim caminhar juntas, precisa existir cumplicidade, confiança, respeito e acima de tudo "amor"; amor é uma coisa tão bonita, não é mesmo? algo complicado de entender, e ao mesmo tempo tão fácil; nos apaixonamos pelas pessoas mais "bizzarras" do mundo, do nada, quando percebemos ACONTECEU; e aí vem o AFTER; com o tempo as coisas vão acontecendo, tudo vai ficando difíciil, as brigas vão sendo cada vez mais constantes, os dias cada vez mais frios e vázios. Seria a Química acabando? TALVEZ, mas não no nosso caso. E AGORA NESSE MOMENTO; HOJE... Quem tá na frente é você, não sei onde eu me perdi, onde diminuí os passos, ou como aconteceu, eu realmente não sei... Mas você pode voltar. me encoraje a levantar; eu quero continuar... Vem, vem me buscar!?

"...Talvez o problema esteja exclusivamente comigo: eu demorei demasiado pra perceber o quanto eu te amo, o quanto eu te sinto e o quanto eu preciso de você; talvez nesse tempo o que você sentia tenha se perdido, desgastado... Eu espero que quem esteja na frente – eu ou você – espere o outro para que possamos continuar caminhando, caminhando juntos... eu preciso de você, e espero que você também precise de mim. Espero que não seja tarde para ainda conjugar com você todos os verbos na primeira pessoa do plural... vamos conjugá-los só no presente, vamos?!"


- Nesse tempo quando você se definia, e agia friamente, eu sofri... Isso me fez sofrer, me machucou... Você ao menos se importou quando me deletou da sua vida, suas páginas de relacionamento? Se preocupou comigo? E  enquanto me ignorava, quando eu dizia "eu te amo" ou coisas do tipo; ao menos se importava com o que eu sentia naquele momento? Entendo você e todos seus motivos, e razões... mas é complicado pra mim como também é complicado pra você. Você me entende como eu te entendo? Quero ao menos que você tente, por favor; Try!!!


A cada passo que eu dou, olho para trás e não vejo absolutamente nada, as coisas somem quando sigo em frente, e isso me deixa com medo e quando olho pra frente vejo muita neblina, não consigo ver nada, é frio, é escuro, é branco, não é nítido, e muito menos compreensível. E é lá que você está, você está atrás dessa neblina toda, onde há sol, um lugar bacana para descanso, você passou tudo isso sozinho, mas eu tenho medo, tenho tanto medo AGORA. E eu simplesmente não sei porquê. Siga as instruções, siga seu coração: Sente-se numa sombra; o percurso será cansativo, perigoso, e estamos descalços agora. O sol vai fazer nossos pés arderem, vamos sentir sede, raiva, T-U-D-O. Apenas sente-se, na beira duma estrada, perto de uma árvore calma, em um lugar fresco onde pássaros cantam; assim como você pode cantar pra mim... Enquanto isso, me deixe lutar contra tudo que há no lugar onde eu me encontro, me deixe lutar contra o medo de te machucar, e te perder. Passarão pessoas pela estrada, isto é óbvio para ambos, mas apenas deixe-as passar, como eu faço. Nunca deixe com que a carência, o medo, e a insegurança faça você acompanhá-las.. Por favor, eu sei como é,  é horrível.. Dói, dói muito.


Perdoa-me por te amar tanto e exigir de você tantas coisas que sei que são impossíveis e até desnecessárias. [2]

Catch your breath, hit the wall, scream out loud, as you start to crawl...
Recupere seu folêgo, bata na parede, grite bem alto, é como se começasse a engatinhar...
And I have felt the same, as you I've felt the same, As you I've felt the same?
E Eu senti o mesmo que você, Como você eu senti o mesmo, como você eu senti o mesmo.
 Don’t believe the lies that they have told to you, not one word was true..
Não acredite nas mentiras que eles te contarem, nenhuma será verdade.
You’re alright you're alright
Você está certo, você está certo.





Dream, Dream, Dream.. OH MY FUC**** GOD.

x"Quando tudo está ruim sempre se pode cantar, por essa razão eu escrevo"
- Caio Fernando Abreu

 
Sonhei que você me dizia "Volta, vem ficar comigo";
Sonhei que todo aquele momento foi especial pra mim e que o mesmo era recíproco;
Sonhei que todas as palavras fizeram algum sentido e que realmente era tudo verdade;


É, eu tive um sonho...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Lie to me, please.

Mentiras;
Até onde podemos chegar com elas? Por que as pessoas mentem? Sinceramente, eu não sei porque eu minto, porque você mente, porque nós mentimos. É complexo parar pra pensar no porquê de tantas coisas, e no que influencia nisso tudo. As pessoas podem mentir com belos sorrisos, escondendo a tristeza que há em sua vida, ou desfarçar o ódio repentino contido por uma terceira pessoa, podem mentir com um olhar, que nos engana tão facilmente que nos faz acreditar que seria verdade, mas a mais pura mentira é aquela que contamos a nós mesmos antes de dormir, quando deitamos na cama e prometemos a nós mesmos que no amanhã seremos diferentes, seremos melhores, porém a pior das mentiras é aquela que é sussurrada ao nosso ouvido por aqueles que amamos, a mentira não vem da fraqueza, desconheço essa força. A Mentira vem do medo, o que leva a mentirmos sobre qualquer evento, é o medo do que pode nos acontecer após a verdade ser revelada, e quando a verdade é revelada? O que cabe a nós? Cabe reconhecermos os nossos erros, e nos recuar, fugir do mundo, pela vergonha... Seria isso fraqueza? Maybe.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Dele pra mim! (LLL)

"O que eu escrevo é para você; eu só penso em você; meus sentimentos são seus.
Queria sentir seu cheiro; dormir ouvindo seus sussurros; sentir seus beijos.
Perdoa-me se algumas vezes sou frio, mesquinho, arrogante... Por mais que assim eu seja, eu juro que fico horas olhando suas fotos; deixo aberta a janela do seu MSN e fico te esperando entrar ou falar comigo – sou bobo às vezes; talvez mais bobo por não me envergonhar disso.
"

Três palavras para você: eu amo você.
Minha alma gêmea.

"You're a falling star, you're the get away car, you're the line in the sand when I go too far. You're the swimming pool on an August day and you're the perfect thing to say. And in this crazy life, and through these crazy times it's you, it's you, you make me sing, you're every line, you're every word, you're my everything"

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

LATHESE: O segundo mundo. • Cap. I


Mellanie; é uma adolescente de dezessete anos que se encontra em Lathese, um mundo fantástico porém destruído por Apocalipse; uma garota malvada que governa um reino de crueldade no topo de uma "ilha". Mell, é acolhida por um mago que a faz tomar decisões e fazer escolhas que irá beneficiar ambos, mas para isso teria de resgatar Erik o garoto que perdeu a memória aos dezesseis anos que é aprisionado pela vilã em um de suas salas de tortura do reino. Mas o que acontecerá quando Mellanie descobrir que só poderá entrar em Lathese enquanto estiver dormindo, e que seus sonhos são tão reais que são capazes de ferí-la? será que sua amiga individualista e egocêntrica Kyra irá ajudá-la? E como ela agirá ao descobrir que a força maior do mundo de seus "sonhos" sai de dentro do mundo real, e que sendo assim ela não é a única pessoa do planeta a ter acesso a Lathese? Tudo isso e mais um pouco você irá descobrir, nessa linda história que envolve mistérios, romance, lutas e acima de tudo o valor da amizade.




Cap. I
Como deixar Lathese.

            O céu era nublado, a cidade destruída, as ruas totalmente vazias, as árvores pareciam chorar, os jardins eram secos, como se houvesse uma grande seca naquele lugar. Que cidade é essa? Onde eu realmente estou? Olhando em volta a única resposta que eu posso achar é que isso tudo era assustador. Meu nome é Mellanie, e esse é meu ursinho Keymon. Andando por essas ruas sujas a única coisa que conseguia fazer era sentir a tranqüilidade que Keymon me passava. Foi quando eu vi uma luz, parecia ter encontrado alguém, uma ventania então começou, as folhas secas começaram agarrar nos meus cabelos ondulados e se espalharem pelas ruas, parecia um furacão, me senti realmente assustada, então corri, lembro-me apenas de ter tropeçado em algo que me fez cair...
            Acordei em outro lugar mais estranho ainda, tinha um cara olhando minha marca de nascença em meu pulso, que até então eu tampava com minha munhequeira, ele tinha um chapéu típico de um mago, é, eu acho que ele era um mago.
- De onde você veio, menina? – ele disse olhando em meus olhos.
- Eu não sei como cheguei, apenas consigo me lembrar de como é assustador lá fora.
- Então está me dizendo que você não vive nesse lugar?
- O que eu estou tentando te dizer é que eu quero ir embora. – Levantei-me coloquei minha munhequeira e peguei o Keymon fui em direção a porta, foi quando ele surgiu em minha frente, não sei como ele fez aquilo só sei que foi rápido.
- Tem certeza que não quer ficar?
- Me deixa ir embora, agora.
- Ouça, menina. Você tem uma escolha a se fazer, e escolhas são feitas de decisões, uma vez escolhida não poderá mudar de idéia. Pelo menos nesse mundo não.
- Me deixa ir embora, agora. – Falei pausadamente, com meus olhos cheios de água e amedrontada.
- Se você quer ir embora, então vá – Ele desviou-se da porta e a abriu, lá fora era ainda mais assustador, pássaros enormes voavam, e furacões destruíam ainda mais a cidade.
- O que está acontecendo? – Fechei a porta, com medo.
- Essa é a Apocalipse. – Fiz uma cara de quem não entendeu e ele completou – ... é o nome dela, ela era uma boa garota, até que então se tornou uma menina má, por péssimas escolhas que a vida lhe sugeriu.
- Mas eu não a vi lá fora.
- Ninguém a vê, apenas a sente. E só há duas pessoas capazes de mudar isso tudo, a lenda diz que foram escolhidos ao nascer, uma garota e um garoto, ambos com uma marca de nascença; como a sua. Juntos poderão formar a proteção e a força e trazer a paz pra esse mundo.
- Você está brincando comigo. – Falei num tom alto, e apertando o Keymon.
- Queria eu estar brincando, mas não tenho mais idade pra isso, menina. Você pode nos ajudar, só temos que encontrar o garoto.
- E quem é o garoto?
- Ele está aprisionado no reino de Apocalipse.
- Por quê?
- Ela teme que ele possa encontrar a escolhida; e assim destruir seu plano por completo.
- E qual é o plano dela?
- Chegar ao mundo real.
- Mundo real? – fiz uma cara de quem não entendeu nada, e realmente não estava.
- Sim, o mundo real. Onde você vive!
- Do que você está falando?
- Você está sonhando, na verdade você não pertence a esse mundo, você vive no mundo real, como o Lorde H. Ele é um garoto comum e que quer comandar o mundo real como Apocalipse fez aqui, por isso eles tem um acordo, montaram um portal desse mundo para o outro. E será usado na sétima Lua Cheia. Quando acontecerá o Eclipse.
- Eu não vou acreditar nisso. – Levantei e fui rumo a porta novamente, mas dessa vez eu a abri, o vento era insuportável, foi quando eu saí.
- VOLTE!!! – O mago gritou estendendo a mão para mim, e chamando assim a atenção de Apocalipse que estava no meio do furacão que parou naquele momento, as folhas secas caíram no chão lentamente. O olhar dela para mim foi assustador, eu parei imóvel. Não conseguia me mecher, ela veio caminhando em minha direção:
- CORRA. – O mago gritou. Assustada não pensei duas vezes, o mago tentou detê-la mas ela explodiu sua casa, a pressão foi forte demais, que me jogou pra longe Dalí, quando caí, caí rente a um precipício, fui me levantar e acabei escorregando, segurei-me no Keymon que ficou agarrado em uma raiz. Então me desesperei. Comecei a gritar, mas ninguém chegava para me ajudar, então pedia por socorro, foi quando olhei para cima e a vi tão perto de mim que me senti gelada. Ela me empurrou, e eu caí, deixando Keymon para trás, eu gritava, gritava, e gritava.
            Na minha cama eu estava, eram 6:00 da manhã ainda, levantei assustada, procurei pelo Keymon e não o encontrei, ele não estava lá, em nenhum dos lugares, foi quando vi o arranhão causado pelo tombo que tinha tomado antes de me acordar na casa do mago. Então olhei para minha marca no pulso, era ainda mais real.


Continua...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Limite



Limite; todos nós temos, mas onde está? Seria no choro contido das noites frias, ou nas mentiras ditas para ocultar a verdade? Qual é o seu LIMITE?









                    AME, zoe, BRINQUE, beba, DANCE,
           se exploda;   NÃO ENLOUQUEÇA,
                                           minta, DIGA, GRITE, viva,
                               INTENSIFIQUE, chore, RIA, busque,
                                                                            LIMITE-SE.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

NÓS



Querido,

Quando estiver lendo essa carta, saiba que dei tudo de mim por nós. Nas noites frias te cobria e aquecia com o meu amor, te alegrava nos dias tristes com meu sorriso, e nos dias chuvosos pintava arco íris na sua janela, nos dias de cansaço levava ânimo e força para continuar, quando pensava em desistir o apoiava à seguir em frente. Quão burra eu fui por ter feito todas essas coisas, e simplesmente não ter cuidado de mim. Apenas vivi a sua vida, dei tanto de mim ao ponto de não sobrar nada para mim, cheguei ao ponto em que não conseguiria viver mais sem você. Você me disse "siga em frente", como o faria sem ti ao meu lado? Apenas pensou em si, não se preocupou com o final. E qual seria o final disso tudo senão esse? Queria levar flores no teu caixão e decorar teu velório, ou pedir para que fizesse isso no NOSSO por nós. Sempre por nós, em tudo. Agora faça por mim; pegue aquelas violetas de que tanto gostava e ponha sobre mim, não quero Letícia chorando diga-a que estou bem e que tudo ficara melhor, não há nada que não passe. Cuide do meu jardim, aquelas rosas vermelhas que estão a desabrochar merecem viver, dê um beijo na Ursula e peça mil desculpas por nunca ter contado-a o que realmente me acontecia; mande lembranças ao meu pai; e pra você eu deixo meu total DESPREZO.


Grata,
Fernanda.

- Nomes fictícios

terça-feira, 13 de abril de 2010

Fim de tarde.




Quero o primeiro trem pra casa.
Quero sentir a brisa de fim de tarde em meu rosto
Quero ver a chuva levar tudo que você trouxe nos dias de sol
Que a tormenta vá para onde eu nunca consiga chegar
Que teus olhos enxerguem o lugar que o faça bem, e que também lhe faça entender o quão eu te fazia bem.
Que os meus olhos não se encham mais de água quando por acaso mirar em suas fotos
Que o vento leve embora o que restou de nós dois
Que meus dias voltem a ser como antes, sinto falta de como era antes de te conhecer.
Que eu entenda que também consigo ver o horizonte sem você.
E quando você voltar, SE VOLTAR, que eu o faça entender que é melhor seguir em frente.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Livre.


Beba.
Compre.
Use.
Roube.
Ame.
Engane
Desame.
Caia.
Levante-se.
Dance.
Transe.
Pule.
Lute.
Grite.
Abuse.

VOCÊ É LIVRE


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Sensatez


Era um espelho normal, mas toda vez que ela se deparava consigo mesma via que tudo nela era uma farsa. Nas manhãs se sentava com seu marido na mesa do café, e o servia com delicadez antes de ele sair pro trabalho. A mucama recolhia a mesa enquanto ela delicadamente sorria para os pássaros na janela, aparentava ser uma mulher tranquila, com o relacionamento perfeito, a vida perfeita. Cobrida dos pés a cabeça, com vestidos luxuosos, ninava sua filha de nove meses e cantava docemente até pegar no sono. Elisabeth com delicadeza a colocava no berço e subia as escadas de sua luxuosa casa. Aproveitava que seu marido não estava em casa para cuidar de si mesmo, pintava quadros, com sua doce delicadeza ela dava vida aos tons brutos de violência aos quadros; os quais vendia na sua feira de arte nos finais de semana, sua imensa casa aparentava uma humilde prisão, ela era prisioneira de si mesma, e de todos que a rodeava. As seis da tarde ela aproveitava para ver o lindo sol se por, às sete se vestia para receber o marido, que chegaria faminto do trabalho como de costume. Sim, sua vida era uma rotina. Olhando no espelho enquanto tirava a roupa ela chorava ao ver as marcas de correias deixadas em seu corpo e lembrava com tristeza o que acontecia todas as noites antes de se deitar ao lado daquele que a fazia mal, e que para os olhos de suas amigas seria o marido perfeito. Sim, sua vida era uma rotina.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Deixa.

 

Deixa eu te contar como eu me sinto ao ouvir sua voz.
Deixa eu te contar como fico quando você me envolve com aquele jeitão de criança.
Deixa eu te contar como você me faz sentir completo ao sonhar com um futuro próximo ao teu lado.
Deixa eu te mostrar que somos bem melhores juntos
Deixa eu te mostrar que juntos aquela tarde de domingo não seria apenas uma tarde tediosa de fevereiro
Deixa eu te ligar no meio da noite e te dizer todas aquelas coisas fofas que vc tanto adora ouvir.
Tenta acreditar que nunca senti tanto a falta de alguém em um dia como sinto a tua.
Deixa eu te provar que estou certo de tudo que disse.
Deixa eu ver o que há por dentro da água do teu aquário.
Deixa eu tentar sobreviver no teu oceano verdeado e mergulhar nos teus olhos castanhos para enfim poder me encontrar.

domingo, 10 de janeiro de 2010

All my days


"Bem, eu tenho procurado todos os meus dias, todos os meus dias; diversas estradas, você sabe eu estive caminhando, e estive tentando encontrar o que estava em minha mente. Como os dias se tornaram noites? Bem, eu me levarei quietamente na sombra. Todos os meus dias assisto o céu quebrando as promessas que fizemos, estive tentando encontrar o que esteve em minha mente como os dias se tornaram noites. O que estou fazendo aqui? Os meus olhos me confundiram, e agora eu vejo tão claramente, e porque eu estava procurando"

Readaptação que fiz na música de Alexi Murdoch


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...